As minhas recordações das Festas de São Paulo

É verdade que as festas de São Paulo sempre foram memoráveis, e tudo o que descreves me faz voltar aos meus tempos de criança.

Festa São Paulo - Ruivós

Naqueles tempos em que não abundava o dinheiro, mas que a festa sempre teve o brilho muito alto, não havia flores naturais para enfeitar o andor (também não havia dinheiro), mas eram lindas as flores de papel que eram feitas artesanalmente e o andor ía sempre lindo.
As alvoradas marcavam o valor da festa, o pregador era sempre aguardado na espectativa do sermão, mesmo que repetidamente todos os anos, as pessoas presentes na missa aguardassem a célebre frase «SALO! SALO! PORQUE ME PERSEGUES?», era o ponto alto do sermão.
Após a missa tinha lugar a linda procissão do Senhor, onde saía o andor do Senhor com o Pálio, que era levado por rapazes solteiros, (segundos os antigos diziam, eram os que ainda não tinham pecados grandes) e a Umbela. Era uma procissão feita com o maior respeito, percorria as ruas principais, ainda por calcetar, onde abundava a lama e tinhamos de andar a saltar de pedra em pedra para não ficar enlameados. Só depois do almoço (jantar, assim se chamava na altura), é que se fazia a última procissão para levar de volta São Paulo à capela, procissão também muito bonita, pois todos os santos da aldeia o acompanhavam nos seus lindos andores enfeitados. Portanto a festa tinha 3 procissões distintas, e havia pessoas, principalmente o pessoal feminino que fazia questão de estrear uma fatiota nova em todas as procissões.
Só à noite é que tinha lugar o Baile, feito no largo da fonte (ou na escola velha), à luz de candeeiros com o célebre acordionista. Ao outro dia era o dia das familias se juntarem para comerem o BUCHO. Durante uma semana, a festa estava sempre animada, só quando chovia é que se tinha de arranjar uma «loja» ou uma casa onde se pudesse dançar. Enfim tempos da minha e de outros da minha idade que nos ficam na lembrança.
É de louvar o não se ter perdido a tradição e apesar de haver algumas alterações sempre foram para melhor, a única que se devia de manter seria a procissão do Senhor.
Também eu, como tu, sinto nesta altura a falta da presença daqueles que nos foram tão queridos e que viviam esta festa com toda a devoção, já partiram, mas neste dia parece que quando olho os vejo nos lugares que estava habituada a vê-los, e sinto que estão ao meu lado.
Aos mordomos desejo que tudo corra como planearam e que VIVA SÃO PAULO!
Virgínia Lages

Anúncios

One thought on “As minhas recordações das Festas de São Paulo

  1. É verdade que saudades… pois era aí que as raparigas se faziam bonitas com as saias pinssadas. Havia a Lourdes da ti Maria dos Anjos,as filhas do ti Bonifacio, da ti Raquel, a Maria, a Luisa, a Isaltina do ti Ismael, os filhos e filhas da ti Luzia e outros, que boa rapaziada. O baile muitas vezes em casa do ti Bonifacio,o Manuel da ti Ana que grande dançarino. Nao havia maldade. O terreiro da fonte bem batido durante varios dias com o tocador ja cansado pois as raparigas diziam-lhe sempre “toque mais uma!”. E assim se passavam os dias felizes. Os nossos pais e maes que deitavam um olhito para ver o que se passava. Saudades saudades…. Enfim viva a festa de SAO PAULO!!! MARIA DE FATIMA LAGES

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s